Fluir – Paul Baloche

Paul Baloche

Nome: Paul Baloche                       twitter.com/paulbaloche
Tradução: Renato Marinoni

Os rios amam o mar. Constantemente em movimento, não existe muita coisa que pode pará-los de persistentemente atingirem seu objetivo. Uma das poucas razões pelas quais um rio vai parar o seu fluir em direção ao mar é se algo entrar em seu caminho. Seja um pedaço de terra, uma represa feita pelo homem, ou uma mudança natural na paisagem, somente algo pode parar o fluir.

A adoração de uma congregação pode ser vista como um rio fluindo em direção ao mar de comunhão com o Senhor. Quando o fluir está lá, a congregação talvez esteja despercebida disso. Mas quando não está lá, todo mundo pode sentir. A corrente é irregular, e as pessoas sentem como se estivessem sendo levadas de uma ilha de acordes de guitarra e letras de louvor para outra.

Para mim, fluir é simplesmente minimizar as distrações. Como nós podemos remover as coisas que estão impedindo  o fluir natural em uma autêntica jornada espiritual? Então, em outras palavras, nós estamos buscando um fluir natural, como um rio fluiria. Nós estamos então trabalhando distrações em potencial ou lugares em potencial onde as coisas podem ficar agarradas. Isto é algo que deve se pensar sobre e planejado, e é por isso que muitos de nós evitamos esse assunto. Nós estamos tentando produzir uma jornada espiritual de 20 minutos, e mesmo assim nós não queremos que pareça que ela esteja sendo produzida. Então essa é uma linha bem tênue.

Mas negar que isso aconteça também pode ser um grande erro. Sem um senso de fluir e da arte que produz uma jornada espiritual, nós não estamos usando nossas habilidades no seu nível máximo. E pior, nós podemos estar levando as pessoas a participarem de sessões musicais cheias de distrações e desconexas, que vem antes do show principal – o sermão.

Nós queremos tentar criar um ambiente onde a música, orações, quem sabe um breve versículo, tudo junto, ajude a criar um fluir mais contínuo.

Preste Atenção

Novamente, nosso objetivo é eliminar quantas distrações forem possíveis, e os veículos da música, da oração e da Palavra facilitam o processo para que as pessoas se conectem com Deus. Então, como nós fazemos isso? Isso nunca é algo que nós podemos reduzir para uma fórmula, mas existem princípios que podem nos guiar. Um desses princípios é simplesmente, preste atenção! Quando nós participamos da adoração, nós temos a oportunidade de aprender. Quando estamos sendo liderados, nós podemos nos juntar em adoração com a congregação, mas também podemos tomar nota de algumas coisas, pelo bem do nosso próprio ministério. Se você não quiser tomar nota durante o culto, pegue seu caderno depois do culto, até mesmo no estacionamento da igreja, e coloque ali o que você sentiu – anote o que o líder de louvor fez e que reação isso provocou em você.

Talvez ele tenha usado um versículo encorajador antes de seguir com a próxima canção. Se isso te moveu, dê espaço para esse tipo de ferramenta no seu “cinto de utilidades”.

Seja preocupado

O princípio de prestar atenção se aplica também quando estamos nos preparando. Quando estamos decidindo como será o fluir de nossos cultos, é importante estarmos preocupados em oração por esse momento. Novamente, não existe uma “fórmula mágica” que funcione para todos os cultos.  Mas antes que nós comecemos a enumerar as canções em uma lista de louvor, é importante que perguntemos a nós mesmos quem é o público para o qual estaremos ministrando, qual é o seu contexto denominacional entre outros fatores.

Como eu, talvez você não tem um único grupo étnico ou uma só faixa etária em seus cultos. Obviamente, você deve abordar um culto de adoração quarta à noite diferentemente do que faz aos cultos de domingo pela manhã. A idéia é prever ou imaginar um pouco à frente quem vai estar lá, e então, com muita oração, considerar quais canções iriam tocar esse grupo de pessoas. Falando ainda sobre fluir, é importante ganharmos a confiança das pessoas. Uma maneira de conectar rapidamente é escolher uma canção que seja bastante familiar das pessoas presentes.

Você pode estar cansado de tal canção, mas é importante você estabelecer imediatamente um nível de confiança com as pessoas que você está liderando, e conseguir a ajuda delas para cantar.

E lembre-se, meu objetivo é passar por quatro canções sem um naufrágio, seu objetivo, usando as ferramentas que você cultivou, é criar um ambiente onde fique fácil para as pessoas se conectarem com Deus.

O Enredo

Tem sido dito que uma liturgia carismática antiga para um culto para músicas de adoração deve ter três canções rápidas e três lentas. Mas nós temos que ser cuidadosos com isso. É fácil para nos ficarmos presos em uma rotina. Porque quando estamos liderando louvor semana após semana em uma mesma igreja, é importante olharmos para os padrões que criamos e misturá-los um pouco.

Então, algumas vezes, eu posso começar com uma canção bem alegre e agitada de celebração. Outras vezes, eu posso começar com um hino bem tradicional que todos conhecem. Seja o que for que eu fizer, eu quero que isso seja algo que engaje as pessoas imediatamente . O único perigo de colocar canções muito agitadas de início é que, muitas vezes, as pessoas vão fazer somente aquilo que você espera delas, por respeito a você. Elas baterão palmas e cantarão, mas elas podem não estar engajadas com Deus. Elas somente fazem isso por respeito ao líder de louvor. Em alguns momentos, uma canção menos ritmada, de andamento médio, irá dar uma chance para as pessoas se focarem em Deus. Então, eu geralmente deixo que a segunda canção seja mais agitada.

É importante permitir que as pessoas se conectem em adoração antes de colocarmos uma pesada expectativa em cima delas para que produzam um comportamento externo. E nós sempre queremos que o aplauso e a dança sejam diante do Senhor, não diante de nós, líderes de louvor.

Isso também tira de nós o peso de sermos os “carregadores” de uma experiência de adoração poderosa. É uma conexão com Deus e um engajamento com Ele que torna um culto de adoração poderoso, não minha habilidade para começar como um cavalo de corridas todas as vezes. Algumas vezes nós somos tentados a agir como super-heróis fictícios chamados “Homem-Adoração” ou “Mulher-Adoração”. Nós entramos em uma cabine telefônica e nós saímos com a nossa capa e gritamos a plenos pulmões: “Bom dia a todos! Aleluia! Louvado seja o Senhor!” Nosso trabalho é trazer algo que seja real e autêntico.

É saudável se temos a mentalidade de sermos os anfitriões, convidando as pessoas para a nossa casa, então o nosso início será muito mais natural. Nós estamos constantemente lutando para estarmos confortáveis e para sermos naturais, porque isso estabelece um ambiente em nossa comunidade onde tudo é real.

O Audível

É claro que existe um momento para a agitação. Isso é parte da adoração – celebrar a Deus com todo o nosso coração . Ao trabalharmos os nossos cultos, devemos ter um senso em nossas mentes de uma jornada completa. Nós podemos até programar uma parte mais “espontânea”. Eu acho de muita ajuda imaginar isso, “Ok, talvez eu compartilhe esse versículo bem aqui antes de começarmos, e talvez o tecladista comece a tocar suavemente no tom da primeira canção, enquanto eu leio o versículo. Talvez eu somente recite as palavras do primeiro verso, e então eu começarei a música no coro.”

Então existe esse equilíbrio entre ter um plano e um pouco desses momentos não-planejados. Por exemplo, nós poderíamos pensar que se fosse haver um momento onde nós fluímos um pouco, seria provavelmente entre a canção três e quatro. Nós podemos imaginar que convidaremos as pessoas, se elas se sentirem confortáveis, a fechar seus olhos e pensar sobre o que elas estão cantando. Mas eu sempre me pergunto se isso mostra que estamos em uma jornada sincera de adoração ou se parece que eu estou tentando manipulá-los.

Conclusão

No final, estes são todos atos para trazer equilíbrio. Nós já estivemos em muitas igrejas onde tudo parece estar bem, muitas pessoas bonitas, sorrindo, cantando lá na frente, mas ainda assim algo parece superficial. Nós queremos ser profissionais, mas não profissionais como se estivéssemos em uma peça da Broadway. A forma de fazermos isso é planejando tudo e estando preparados, e então no último minuto, respirarmos bem fundo e oferecermos o nosso trabalho árduo para o Senhor. Como toda arte, a nossa encontra sua melhor performance quando nós a fazemos com todas as nossas habilidades e com todo nosso coração. Mas sem o nosso convite autêntico para o Pai vir e habitar em nossos planos e para que o Seu Espírito nos guie para que a Sua vontade seja feita, nossos planos são como luvas vazias. Uma luva é inútil a não ser que esteja preenchida.

Texto utilizado com autorização, enviado pelo autor para o portal APOIO MINISTERIAL

Paul Baloche é líder de louvor por muitos anos, com vários Cds gravados pela Integrity Music  e considerado um dos melhores compositores cristãos da atualidade, autor  de músicas como “Open the Eyes of My Heart”, “Sing Out”, “Above All”, “God of Wonders”, “Offering”, entre outras.

Compartilhar:

4 respostas para “Fluir – Paul Baloche”

  1. Marcelo Pureza disse:

    Bom, este simples texto daria no mínimo uma semana de assunto dentro de qualquer reunião com equipe de louvor, Paul Baloche sempre com essa facilidade de transmitir de forma simples assuntos complicados, trazendo entendimento fácil e prático. Parabéns à todos do “Apoio Ministerial” começando assim de forma tão excelente, com um respaudo de tão alto nível!! Sucesso à vcs!!!

  2. Jorge Russo disse:

    Muito interessante, principalmente a parte de remover as distrações. Algo que distrai os ministros é o povo, e o que distrai o povo são os ministros hehe

  3. Priscilla Lira disse:

    Esse texto é genial… se nos atentarmos aos detalhes, permitiremos o fluir de Deus nas nossas igrejas… Considero esse site, muito importante para o nosso crescimento ministerial! Parabéns ao Apoio Ministerial, que o Espírito Santo os instrua sempre, para ser um canal de instrução para tantas outras pessoas! Deus os abençoe!

  4. Giseli Lopes disse:

    Que palavra tremenda!Como ministros precisamos estar ligados totalmente no Espírito para que possamos ser um canal do fluir de Deus!completamente usados por Ele!Sem distrações,preocupações e preparados em total harmonia!Deus abençõe a todos e nos capacite em nossa caminhada e aprendendo com o Pai todos os dias!!!Obrigada por essa palavra que nos edifica!

Deixe uma resposta para Jorge Russo